terça-feira, 14 de março de 2017

SPFW 2017 - João Pimenta – UMA – Animale – Osklen – Lilly Sarti

Hey Maquiados, desculpem eu sei, to um dia atrasado, mas a correria não me permitiu postar antes, 

         A 43° edição do São Paulo Fashion Week (SPFW) começou nesta segunda (13/03). No primeiro dia de desfiles, as grifes Osklen, João Pimenta, UMA – Raquel Davidowicz, Animale e Lilly Sarti dominaram as passarelas e apresentaram as principais tendências de moda.

O evento, que está sendo realizado na Fundação Bienal, no Parque do Ibirapuera, conta com a participação de 31 marcas – entre elas, seis estreantes.



Nos desfiles da Segunda feira, muitas listras, tecidos leves, coloridos, tons de candy.

Desfile João Pimenta


         João Pimenta é o nome mais radical da moda masculina brasileira hoje. Radical porque ele é fiel às suas crenças de estilo, que começaram com um primorosamente bem executado mix de referências femininas bem marcantes (pense em corsets, nas curvas do corpo da mulher, em babados, bordados decorativistas) em sua moda masculina, evoluíram para uma roupa desejável por homens que buscam peças exclusivas e que saiam do comum e, nesta coleção, se firmaram num conceito de streetwear couture com forte apelo de alfaiataria – DNA de João -, desfilado por homens mas que poderia muito bem ser vestido por mulheres, o que já fazem as clientes do estilista.
          A parceria com o stylist Daniel Ueda, e a dobradinha dos dois levou a um feliz resultado da conexão de dois grandes talentos em diferentes áreas mas com pontos importantes de convergência: Ueda sabe apreciar um bom maximalismo e exuberância decorativista, além de um olhar sem preconceitos, importante para entender o trabalho de João. Ao mesmo tempo, tem um olhar prático e conectado com o desejo de consumo do momento, o que tornou possível uma guinada nesta temporada rumo a uma coleção superelaborada mas mais próxima do cliente que aprecia roupas exclusivas, tendência em alta especialmente entre o público masculino.




         Num Estilo sem gênero, seguindo tendencias de uniformes,  com looks que circulam entre militar com os mais diferentes tecidos e texturas, confeccionados por comunidades sustentáveis da Paraíba. De onde também saíram os looks criados a partir das franjas das redes. Já as baphonicas jaquetas brilhantes metalizadas foram feitas a partir de um tear de fitas de VHS



Desfile da grife Uma de Raquel Davidowicz

          Na Comemoração de 20 anos Grife com um DNA urbano e contemporâneo. Raquel e Roberto Davidowicz abriram recentemente uma loja no East Village em Nova York, “Conseguimos enxergar bem esse público e fazer as coisas mais apropriadas para ele. Já não queremos tentar engolir o mundo”, diz Raquel.



          Assim, o desfile desta temporada tem uma consistência em relação aos outros, mas que isso não seja confundido com repetição. É um trabalho em cima de uma personalidade para marcar uma estética para a qual a Uma sempre olhou e que agora é o hit da moda: o no gender. Muitas mulheres entram na loja e saem de lá com peças masculinas. E tem alguns meninos que já compram os vestidos retos da grife. “As pessoas ficam buscando tendências… Que tendências? A gente tem é que trabalhar o nosso nicho. Esse é o nosso foco”.


          A coleção segue a estética minimal, com seu olhar para uma alfaiataria esportiva, confortável e atemporal. Ótimas sobreposições e uso de cores que são básicas e modernas ao mesmo tempo, como off white, bege e cinza. “O mais importante é mostrar nossa identidade”. E ela está mais presente do que nunca.




Desfile Animale 

          As estampas em animal print permanecem nos vestidos, jaquetas, minissaias, em tecidos com texturas diferentes, com camisas rendadas e bordadas manualmente, para uma exclusividade da marca, alem de vestidos românticos com toques italianos.





Osklen

          Com shapes soltos e desconstruídos, bem diferentes da estrutura arquitetônica que costuma pontuar as coleções da Osklen, as roupas traziam essa ideia de estrutura em detalhes como franzidos, recortes nas costas, tudo de maneira mais fluída e solar. No feminino, muitos lenços de seda tipo pareô com tiras de couro fininhas com fivelas serviam para construir tanto vestidos como saias, reforçando essa ideia de roupa de praia urbana e cool, que pode ser usada em diferentes ambientes, que a Osklen sabe fazer tão bem. As peças mais importantes e com mais estrutura da coleção são os coletes e roupas de surf/mergulho bordadas com cristais Swarovski, que Oskar considera a síntese do casal que ele imaginou quando criou as roupas: ele artista visual, que gosta de surf e astronomia, ela bióloga e mergulhadora.




 Lilly Sarti

         Com total referencia aos anos 80, em excessos, cores, estilos e tudo mais que possa ser usado e abusado, são as principais características da grife nesta edição.


         Para o primeiro dia de desfiles, muita novidade e roupas com muito estilo próprio, de personalidade e sempre com um toque de a gênero.



Imagens retiradas do Facebook do SPFW2017.